sábado, 21 de abril de 2012

Recife, 1984 - Autor: Jorge Tufic


Quarto de hotel, Recife. Num domingo

de retalhos de mar na luz que invade

o corredor deserto: um breve pingo

do que sonha, lá fora, a eternidade.

Simples quarto de hotel. Aqui distingo

meu corpo horizontal. Ora, quem há-de

visitar-me no beco! Então me vingo

de estar só com este vento e amo a cidade.

Leio os poetas da terra. Os mais alados

cuja semente estala, por sua lavra,

em tambores, violões, nordestinados.

Marcus Accioly é a voz, o canto grave

em território áspero. E a palavra

tira da pedra o que ela tinha de ave.


Fonte: Agendário de Sombras
Autor: Jorge Tufic - Fortaleza/CE
Sonetos, página 24 



Publicação autorizada pelo autor

3 comentários:

Aleatoriamente disse...

Um poema aconchegante. Muito bonito.
Parabéns ao autor.

Um braço Carlos.

Sandra Oliveiar Lins - Escada/PE disse...

Belo soneto. Adirei. Parabéns Jorge Tufic

Carlos Costa disse...

Lindo, TJ. Adorei!