quinta-feira, 5 de maio de 2016

Entrevista: Denise Coimbra


Denise Coimbra

¨Há quem acredite existir uma diferença entre escrever e ser escritor, porém se alguém tem ideias originais para criar boas histórias, se elas têm o potencial de despertar o interesse das pessoas; o autor desenvolveu a habilidade de prender o leitor em sua narrativa, da primeira palavra até o ponto final. Assim sendo, com certeza é um bom escritor! As palavras são um grande instrumento transmissor de ideias e pensamentos, com poderes de transformar o mundo em um lugar melhor e mais bonito".
Denise Coimbra é a terceira escritora entrevistada. Ela é psicóloga, psicanalista e acompanhante terapêutica. A própria se define: ¨Tenho 50 anos, sou inquieta, às vezes descorçoada, mas profundamente esperançosa de alcançar dias melhores e o futuro!
Mãe de Beatriz, que me descreve como “traça” pela leitura amorosa que faço na biblioteca que tenho em casa, , onde me escondo diariamente. Sou filha de D. Zininha e “Seu”Jair, neta de maestro e músico.
Adoro passear pelo quintal, pedalar pela cidade e arredores e dar no pé para qualquer lugar que der... Mineiríssima, mas com ânsia de mundo e de novos horizontes¨.

1- Quando e como surgiu seu interesse pela leitura e escrita?
Denise Coimbra - Penso que  o interesse pela leitura foi na infância influenciada pelos meus pais e irmãos mais velhos que liam muito e quando podiam me presenteava com livros. Acredito que a leitura sempre fez parte da cultura da minha família, principalmente a paterna.
Já a escrita foi na adolescência a partir das aulas de literatura, influenciada por professores amantes da leitura e obras clássicas ou modernas.
2- Quais foram seus livros preferidos quando era criança e os livros favoritos atualmente?
Denise Coimbra - Reinações de Narizinho e toda a obra de Monteiro Lobato, além dos clássicos como os livros de Hans Christian Anderson, as Fábulas de Esopo, Irmãos Grimm, La Fontaine, Charles Perrault e Lewis Carroll.
Atualmente leio Raduam Nassar, Milton Hatoum, Walter Hugo Mãe, e estou lendo a obra completa de Hilda Hilst e leio sempre Clarice Lispector, principalmente os contos.
3 - Quais escritores são suas fontes de inspiração?
Denise Coimbra - Clarice Lispector, Hilda Hilst, Machado de Assis , Marguerite Duras, Jane Mansfield, Thecov e Balzac.
4 - De que forma o conhecimento adquirido, seja pelo senso comum, ou pelo meio acadêmico,  ajuda na hora de escrever?
Denise Coimbra - Penso que são essenciais pois são elementos, referências, “inputs” para o processo de criação, que é invenção, inversão, ampliação do que se pensa, vive, aprende  ou experimenta. Ou seja, o conhecimento nos permite ampliar, criar novas realidades, ou melhor, “irrealidades.”
5- Segundo o escritor Rubem Fonseca, “a leitura, a palavra oral é extremamente polissêmica. Cada leitor lê de uma maneira diferente. Então cada um de nós recria o que está lendo, esta é a vantagem da leitura". É isso mesmo? Concorda com essa proposição?
Denise Coimbra - Claramente! Adoro quando leitores do meu livro 54, Rua da Alfândega me apresentam sua visão, percepção do que leram e, ao final, eu incrédula pergunto ou reflito: eu não escrevi isso!!! Ou eu escrevi isso???!!!
6- Ainda segundo o Escritor Rubem Fonseca: “um escritor tem de ser louco, alfabetizado, imaginativo, motivado e paciente.” É o suficiente para ser um bom escritor?
Denise Coimbra - Não saberia responder, acho que isso tudo e algo que nós não saberemos nunca, algo como o intangível  mistério da vida e da escrita!
7 - Para qual público se destina sua criação?
Denise Coimbra - Adultos.
 8 - Como funciona o seu processo de criação? Quais sãos suas manias (ritual da escrita)?
Denise Coimbra - Ás vezes as primeiras idéias surgem a partir de vivências, leituras ou histórias que me são contadas. Daí lanço mão de papel, celular, bloco de notas, guardanapo para não perder o fio que começa a se desenrolar naquele momento.
Normalmente escrevo a noite ou de madrugada e, preciso de muito silêncio e algumas taças de vinho.
9 - Em geral, os seus personagens são baseados em pessoas que você conhece, ou são ficcionais?
Denise Coimbra - Um pouco dos dois, mas na maioria ficcionais. Às vezes, aproveito algum traço, ideia, acontecimento real, mas inverto, amplio e construo uma história bem diferente da realidade.
10- Você tem outra atividade, além de escrever?
Denise Coimbra - Sou psicóloga, psicanalista e acompanhante terapêutica. Além de ser membro da Academia de Letras de Bom Despacho, cidade onde nasci e vivo atualmente.
11 - Você faz parte das Coletâneas Gandavos. Qual a sensação de participar ao lado de escritores de várias regiões do país?
Denise Coimbra - Uma honra e uma alegria muito grande, pois tenho a oportunidade de conhecer outros autores e suas histórias e, com isso ampliar a minha experiência como leitora também.
 12 - O financiamento coletivo e a publicação independente têm se mostrado a opção das publicações Gandavos.  Quais são os pontos positivos e negativos desse tipo de publicação?
Denise Coimbra - Os aspectos positivos: são oportunidades em que o autor tem que se valer dos laços afetivos para sensibilizar a participação de outras pessoas na realização e compartilhamento de um sonho, um projeto  e também exercitar a autonomia nesse sentido, ou seja de ser protagonista daquilo que almeja produzir.
Os aspectos negativos, creio que são os custos e com isso, não ter um alcance de mercado e leitores como os que são produzidos por editoras ou tenham quem os financie. 
13 – Você já fez publicação de livros sozinha, seja impresso ou virtual? Quais e como o leitor pode adquiri-los?
Denise Coimbra - Sim, a impressa. Cheguei a colocar em uma livraria, mas o alcance é muito pequeno. Normalmente eu vendo mais. As pessoas me encomendam e eu envio via correio ou entrego pessoalmente quando a pessoa reside na mesma cidade.
14 - Qual mensagem você deixaria para autores iniciantes, com base em suas próprias experiências.
Denise Coimbra - Escreva, escreva, escreva...

12 comentários:

Marina Alves disse...

Muito bom conhecer um pouco mais de Denise Coimbra. Curiosa para conhecer o "54, Rua da Alfândega", e certamente outros que virão. ///Parabéns, Carlos pela oportunidade de conhecermos um pouco mais sobre nossos companheiros da Literatura. Abraço aos dois!

Denise Coimbra disse...

Obrigada Marina Alves!Vamos combinar um café em Lagoa da Prata ou Bom Despacho e te apresento o livro! Um abraço!!!

Carlos Lopes: nenhuma palavra dará a dimensão do que sinto em gratidão. Então vai a única que aproxima bem: MUITO OBRIGADA!

Anônimo disse...

Gostei muita da sua entrevista Denise!!! Também fiquei curiosa com o seu livro, como faço para ter? Estou adorando conhecer os autores que participam do Gandavos! Carlos foi genial! São oportunidades ímpares! Beijos, Michele C.Marchese

Denise Coimbra disse...

Ei Michele que alegria saber do seu interesse em ler a entrevista e em adquirir meu livro. Caso queira posso envia-lo por correio. O custo dele é R$30,00 + frete. (o valor depende do local) um abraço! Denise

Willes S. Geaquinto disse...

Ótima entrevista, é bom que assim vamos nos conhecendo...

Anônimo disse...

Parabéns Denise pela clareza com que você deixou-se conhecer. Essa série de entrevistas, está semelhante àquelas reuniões em que os participantes vão lá para a frente e se apresentam ao auditório. É como se estivéssemos em sua presença, ouvindo-a falar. Parabéns, mais uma vez, ao Carlos pela iniciativa.

Alberto Vasconcelos
Santo André/SP, 06 de maio de 2016

Maria Mineira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Mineira disse...

Carlos Lopes, excelente a ideia de entrevistar os autores. É muito bom conhecer sobre cada um deles; seus gostos, suas ideias, seus sonhos. Quanto a Denise Coimbra, eu já li seu livro: "54, Rua da Alfândega". É um livro muito bem feito e de muito bom gosto que prende a atenção do leitor.

Ana Bailune disse...

Parabéns pela entrevista, Carlos, e também à entrevistada!

Denise Coimbra disse...

Obrigada Maria Mineira pela leitura e comentário sobre o livro e a entrevista! Abç

Helena Frenzel disse...

Muito bom saber mais sobre você, Denise Coimbra. ;-)

Denise Coimbra disse...

Obrigada Helena, Alberto, Willes, Ana! As entrevistas nos aproximam de uma forma muito especial também! Um abraço a todos!!!!