sábado, 15 de dezembro de 2012

Em algum lugar...

                                                Autora: Maria Mineira

Aconteceu no momento em que eu estava sozinha à meia luz do quarto...
No silêncio descuidado e livre quando a lua invadia o ambiente com os sons e aromas da noite.
Distraí-me. Fechei os olhos para melhor sentir o jasmim perfumando o ar...
A menina saiu de mansinho igual o farfalhar mudo das asas de um beija flor...
Lembro-me apenas, que usava chapéu de palha cobrindo uns olhos brilhantes e sonhadores.
Ela foi para onde podia andar e sentir a terra sob os pés, quando os pingos de chuva começam a cair do céu molhando os campos e enchendo os rios.

          Sei que gosta de pisar descalça no capim, roçar as pernas nas folhagens úmidas e ásperas do caminho.
Tímida e ousada...
Fugiu porque queria ser parte desse ambiente agreste e puro.
Desejava abrir os olhos para os mistérios da vida.
Na aragem de um sonho ser menina e mulher, música e poesia, alma amanhecendo.
Talvez a encontrem dormindo num canteiro orvalhado de lírios da Serra.
Sentindo no corpo a umidade fresca que a noite deixou na relva.
É quase certo que esteja visitando as nascentes do meu passado.
Se alguém achar a menina que eu fui, avise-me, por favor...
Preciso saber dela para reconhecer-me.


Autora: Maria Mineira - São Roque de Minas/MG

Página da autora:

http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=86838

Publicação autorizada pela autora




COMENTÁRIOS

 
  Belo Horizonte/MG

          Olá, Maria Mineira!

Diante de seu texto emocionante, quem de nós (os já maduros) não se identificaria com a menina que você busca, mesmo que em contextos de vida diferentes,tamanha é a nossa ânsia de retomarmos à pureza e simplicidade da infância. Belo texto.
Um abraço de sua conterrânea,

          Celêdian Assis
 

6 comentários:

Carlos Lopes disse...

Maria Mineira, linda sua prosa poética. Dá uma vontade danada de conhecer esse mundão daí que contribui também para você escrever tão bem como seus textos se apresentam.

Ana Soares disse...

Maria Mineira... Parabéns! Sua prosa é simplesmente encantadora.

gam538 disse...

Assim como nos causos arrasa também na prosa. E o que essa menina tem contribuído pra embelezar nossos olhos e imaginação! Adorei a menina dos lírios, da Serra, do rio... abraço da Marina.

Celêdian Assis disse...

Olá, Maria Mineira!

Diante de seu texto emocionante, quem de nós (os já maduros) não se identificaria com a menina que você busca, mesmo que em contextos de vida diferentes,tamanha é a nossa ânsia de retomarmos à pureza e simplicidade da infância. Belo texto.
Um abraço de sua conterrânea,
Celêdian Assis

Maria Mineira disse...

Muito obrigada a todos vocês! Ter o incentivo de quem entende do assunto é muito importante para mim que estou dando os primeiros passos nesse trem difícil que é escrever. Abraço a todos.

gam538 disse...

A menina que existiu em Maria, não morreu, não fugiu, é eterna num coração que não viu o tempo passar e ainda sente como criança. Eu a reconheço em cada letra grafada, em cada lembrança guardada. Que show! Um abraço da Marina das Lagoas............