terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Possessão - Dias Índios (XXII)

Professor Wanderley Dantas
Acordei naquela manhã e logo me deparei com o pajé dentro de casa. Ele estava “fumando” sobre uma criança. Perguntei se a criança estava doente e o filho do cacique me confirmou que sim.
-Professor, você não viu nada nesta noite?
-Não, respondi. Realmente, dessa vez fora abençoado por Deus com noites de sono bem profundo.
-Professor – continuou o filho do cacique – toda criança quando nasce tem um espírito perto dela. Ele fica assim por perto dela, mas, quando fazem alguma coisa contra a criança, o espírito avança contra a criança.
-Como assim? Não consegui entender. Falei isso para o filho do cacique, que já vinha se tornando um ótimo tradutor cultural para mim, contando histórias e me explicando as coisas na aldeia.
-Se a criança ficar doente ou se um dos pais fizer alguma coisa contra a criança, por exemplo, se a mãe não der uma comida que a criança quer, então o espírito entra na criança e ela começa a fazer assim.
-Ela teve convulsão, expliquei para ele, que fazia com a mão a mímica do que ocorrera com a criança naquela noite, tentando me explicar.
-Sim! O corpo todo dela ficou tremendo. Mas...
-Mas, o quê? Perguntei incisivamente, pois percebi que ele abaixara a cabeça, tentando entender a situação.
-Mas ele não estava doente e nem a mãe ou alguém fez alguma coisa contra ele... O pajé disse que o espírito está incomodado com outra pessoa. O pajé falou que tem uma presença aqui dentro de casa que está perturbando o espírito, por isso ele avançou contra a criança...
Naquele momento, eu já tinha ouvido o suficiente para entender o que estava acontecendo. Embora eu estivesse morando numa casa com mais de 20 indígenas, percebi que o “espírito” havia se incomodado com a presença do Espírito de Deus. Agora, se o “espírito” disse ao pajé que a minha presença é que era a tal presença estranha na casa e se eles falaram isso para o filho do cacique é algo que só o tempo irá mostrar...

Autor: Professor Wanderley Dantas

http://o-seringueiro.blogspot.com.br/

Publicação autorizada pelo autor




Comentários:

Olá, queridos! Muito bom estar de volta ao Gândavos depois deste período de férias. Quero agradecer mais uma vez ao Carlos por me permitir estar por aqui, uma casa literária tão privilegiada.
Abraços!
Wanderley Dantas
 
Eu é que lhe agradeço pela sua amizade e também pela colaboração com seus maravilhosos textos.
Um abraço
Carlos A. Lopes

 

 



 

2 comentários:

Wanderley Dantas disse...

Olá, queridos! Muito bom estar de volta ao Gândavos depois deste período de férias. Quero agradecer mais uma vez ao Carlos por me permitir estar por aqui, uma casa literária tão privilegiada. Abraços!

Carlos Lopes disse...

Eu é que lhe agradeço pela sua amizade e também pela colaboração com seus maravilhosos textos.
Um abraço