sábado, 21 de janeiro de 2012

A poesia pós internet - Uma abordagem sucinta - Autora: Celêdian Assis

Podemos dizer que advento da internet é relativamente “jovem”, com pouco mais de 40 anos. Este se deu na década de 60 e em 1969 foi transmitida a primeira mensagem pelo correio eletrônico entre dois computadores (e-mail em rede) situados em locais distantes, quase dois meses depois do primeiro nó que deu origem à Internet. Contudo, o boom (explosão) e a popularização da Internet só se deram na década de 1990. Até 2003, cerca de mais de 600 milhões de pessoas  no mundo estavam conectadas à rede e em 2007 cerca de 1 bilhão e 234 milhões de usuários (Fonte: Internet World Estatistics).

Já no Brasil, os dados mostram que em 2010 a audiência na internet brasileira foi de 73,7 milhões de pessoas a partir de 16 anos e 80,3 milhões a partir dos 12 anos, de acordo com o IAB(Interactive Advertising Bureau). Esses dados permitem inferir que a internet tornou-se uma ferramenta valiosíssima de troca, compartilhamento e fluxo contínuo de informações por todo o mundo.

Para a literatura tal advento tornou-se notável, pois representou uma maior facilidade e comodidade, comparada à busca por livros impressos em papel.

O homem muda através dos tempos e com ele mudam também as formas de expressão artística e em cada período existem obras e autores que apresentam certas afinidades entre si, o que em literatura constitui um estilo de época, um movimento literário. Todavia não é prudente considerar que todos os poetas, escritores de uma mesma época pertençam a este, ou aquele estilo, ou movimento literário, pois muitos deles não se ligam à tendência literária, ou  alguns autores estão muito a frente de seu tempo, o que não permite enquadrá-lo  ao estilo vigente.

Graças a originalidade dos autores, ao  estilo próprio ou maneira típica de cada um exprimir seus pensamentos através da linguagem, isto é, a sua expressão que reveste uma forma característica, através da qual se manifesta sua sensibilidade e a feição peculiar de seu espiríto, esses diferenciam-se uns dos outros. Além das características individuais, o estilo revela também os traços psicológicos de uma sociedade e as tendências dominantes das diversas escolas e correntes literárias através do tempo.

Neste contexto, podemos dizer que na atualidade a poesia e a literatura em geral,  se enquadram em um estilo bem eclético, pós moderno, pois os artistas das palavras criam suas obras ora seguindo tradições das escolas literárias, ou  simplesmente as ignorando, tornando mais evidente o seu estilo pessoal. Entretanto, é preciso notar que nenhum artista é indiferente à realidade e a sua arte está incontestavelmente vinculada à sociedade na qual ele vive. Partindo de suas experiências pessoais e sociais, o artista recria a realidade, dando origem a uma supra realidade ou a uma realidade ficcional, pelas quais transmite seus sentimentos e ideias ao mundo real, de onde tudo se originou.

Posto que, estamos inseridos no momento da história atual e que a internet oferece uma avalanche de ofertas de espaços para divulgações, via sites pessoais ou comunitários, blogs pessoais, entre outros meios e que através dela pode-se alcançar autores e leitores de todo o mundo, é possível observar três pontos interessantes:

1-  houve um resgate do interesse pela poesia, antes mais restrita ao meio escolar, acadêmico e que nem todos tinham acesso. A internet proporcionou facilidade de visibilidade, valorizou a liberdade de expressão e abriu espaço para a manifestação da criação artística;

2- por conta dessas mesmas facilidades propiciou-se também a inserção no meio, de uma poesia  sem muitos critérios no que concerne à forma e ao conteúdo, ou seja, os aspectos que envolvem a construção do texto, vocabulário, sintaxe, sonoridade, imagens, disposição de palavras e por fim, as ideias e os significados dos textos.

3- cabe refletir até que ponto o excesso de informações veiculadas de forma totalmente acessível, pode de alguma forma afetar o desenvolvimento das ideias, do processo da criatividade e da formação do conhecimento.

A literatura é um instrumento de comunicação e apesar de estar ligada a uma língua que lhe serve de suporte,  não está presa a ela e faz uso livre da língua, chegando a subverter suas regras e o sentido de suas palavras, conferindo-lhes multiplicidade. Portanto, é difícil avaliar se a internet trouxe com a liberdade de expressão da criação, maior valorização ou banalização da poesia  no sentido de qualidade.


Autora: Celêdian Assis - Belo Horizonte/MG
Publicação autorizada pela autora.

9 comentários:

Carlos Lopes disse...

Muito justa a abordagem de Celêdian Assim em ¨A poesia pós internet.¨ Não somente justa, também esclarecedora. E o melhor, não comete o erro do único lado. Ela é justa com as possíveis transformações, apenas nos deixa ciente quanto aos possíveis abusos.

Tânia Fonseca/Caruaru/PE disse...

Gostei! Muito sensata e criteriosa observação. C. Assis merece meu respeito.

Marcio JR disse...

Sou suspeito para falar sobre Celêdian Assis, pois a tenho como mentora, amiga e incentivadora. Ela tem um poder de síntese notável, e o artigo está preciso.

Imagino a internet como um meio claro de democratização da informação e produção não apenas cultural, mas sim de tudo que tange à criatividade. No entanto, ainda engatinhamos neste meio, e como tudo em seu começo é meio bagunçado, não chegamos ainda à fórmula certa para transformar este belíssimo instrumento em algo pleno de sua capacidade. Infelizmente, a web ainda é um território sem lei, e muitos se aproveitam disso para meramente anarquizar.

Carlos. Encontrei seu blog lá no Cacá (UAI! Mundo!), e a foto da Celêdian me chamou a atenção. Muito bom ver aqui um artigo desta poetisa maior. Uma das grandes autoras que encontrei pela web.

Abraço grande aos dois.

Marcio

Carlos Costa disse...

Perfeita sua análise, colega. Moro em Manaus e meus trabalhos hoje são conhecidos em quase todo o Brasil, meus livros também. Não fosse a internet, estaria ainda restrito ao meu Estado. Um abraço,

Celêdian Assis disse...

Caro amigo Carlos Lopes, escrever um artigo de opinião é sempre uma tarefa árdua, pois é preciso manter uma postura de isenção no que tange ao pensamento do outro, ou seja dar ao outro a liberdade de manifestar-se, sem contudo omitir a própria opinião. Entretanto, é muito agradável quando o leitor se identifica com o teor do texto e reconhece nele alguma relevância. Obrigada pela sua leitura e comentário.
Um abraço
Celêdian

Celêdian Assis disse...

Tânia Fonseca, obrigada pela sua apreciação atenciosa e pelo generoso comentário.
Um abraço,
Celêdian

Celêdian Assis disse...

Meu caro amigo Márcio JR, fiquei felicíssima de encontrar seu comentário aqui neste espaço e muito agradecida pelas suas sempre tão amáveis palavras. Obrigada meu querido amigo.

Carlos Lopes, lembra-se desse nome "Márcio JR" um cronista dos melhores, um ser humano fantástico e um amigo especial, a quem devo muito do que aprendi sobre a montagem de um blogs e quem igualmente tem me incentivado sempre no mundo das letras.
Um abraço
Celêdian

Celêdian Assis disse...

Sr. Carlos Costa, muito me honra receber a sua opinião, já que tenho muita admiração e respeito pelo seu trabalho. Obrigada!
Um abraço
Celêdian

Carlos Costa disse...

Celêdian, eu é quem me sinto honrado por ter a oportunidade de ler seus textos, tenha certeza disso...Só digo o que sinto e penso, nada mais. Quanto aos meus trabalhos, sequem na mesma linha! Um abraço,