sábado, 17 de dezembro de 2011

“Dentro de mim mora um anjo” - Autor: Carlos Costa

A música “Dentro de Mim Mora um Anjo”,  composição do professor universitário, Carlos Alberto de Brito, nascido em Uberaba-MG, em 13 de março de 1944 e falecido no Rio de Janeiro em dezembro de 1987, aos 43 anos, conhecido nacionalmente apenas por “Cacaso”, define completamente a vida de hoje, que me permite ser vivida. A letra fala sobre “meu lado de dentro”, raivoso, revoltado e chato, mas que também “arrasta suas medalhas” e sendo “meu próprio prisioneiro”. Mas nada fala sobre meu lado de fora!
“Quem me vê assim” freneticamente escrevendo, sem “as unhas pintadas”, “passando horas à fio” à frente da tela de um computador, “montado em meu cavalo” de inspiração que grita, protesta e não cala, “que sangra de espora” o coração, “não sabe nada de mim”. Esse é apenas “meu lado de dentro”. Há meu lado de fora, também!
“Dentro de mim mora um anjo”, que não “tem a boca pintada”,  “as unhas pintadas”, que “não tem asas pintadas”, escrevendo crônicas, “não sabe nada de mim”. “Dentro de mim mora um anjo”, que acredita no futuro de um Brasil e vive por vontade absoluta de DEUS, mas que “sufoca o amor” para dar aos outros em forma de crônicas, poesias, livros científicos...
A revolta que sinto é apenas em “meu lado de dentro”, “montado em (...) cavalo”, correndo rápido rumo à morte, duas infecções hospitalares incuráveis adquiridas durante os cinco anos de longas internações,  “sangrando” pelas injustiças sociais, à falta de políticas públicas, às mortes nas filas de hospitais, à insensibilidade médica na prestação de socorro emergencial a quem que precise e o busque, mesmo que não tenha convênio privado, à total inexistência de segurança pública, “que arrasta suas medalhas”, comendas, diplomas de mérito pelas ruas... “que me prendeu” aos laços de um passado maravilhoso “mas que é meu prisioneiro” cheio de lembranças agradáveis que vivi.
Concluo a crônica utilizando-me mais uma vez, da belíssima composição de Cacaso: “quem me vê assim...” (escrevendo), “não sabe nada de mim”. Mas “dentro de mim mora um anjo”!

Autor: Carlos Costa - Manaus/AM
Publicação autorizada através de e-mail de 17/12/2011

3 comentários:

Carlos Lopes disse...

Carlos Costa, que direi do seu impressionante DENTRO DE MIM MORA UM ANJO? Apenas que é Impressionante! Parabéns amigo.

Patricia disse...

Parabéns escritor Carlos Costa. Dentro de mim mora um anjo é divina.

Patricia disse...

Desculpe a franqueza Carlos Costa, mas lhe faz bem essa mistura de revolta com calmaria comum a seus textos. Em muitos deles usa as duas características o que deixa o texto suave e crítico.