segunda-feira, 26 de maio de 2014

Texto: 41 (do concurso) - Bom amigo

Ele era bonachão, bem humorado e gostava de viver. Sempre querendo participar, ser alegre e dar alegria. Tinha seus quilos, era um pouco pesado, forte, seria melhor dizer. Na verdade nunca o conheci pessoalmente. Apenas por fotografia. Só sei que ele era uma festa na casa de meu filho, no Brasil. Mau humor, nunca. Mas, às vezes a vida é cruel e ele começou a adoecer. O pobrezinho estava com um tumor e não era nada bom. Quando fiquei sabendo, um peso enorme se instalou no meu peito. Tínhamos esperança de que a notícia má iria embora e que as coisas mudariam. Mas ele foi ficando pior e pior. Foi levado ao hospital. Mesmo abalado, ele ainda mantinha aquela cara de bonachão.
Todos sabiam  o que tinha de ser feito.Uma mão se aproxima com a seringa. Ele então começa a lamber a mão. Sim, era a mão do veterinário que iria sacrificá-lo. Não sabemos se era para avisar que entendia  que o que estávamos fazendo era para seu bem. Não sabemos se queria agradecer que estávamos terminando com seu sofrimento. Mas ele estava em paz. Esse era o nosso Big. Big Coração. Nunca conheci o Big pessoalmente, como disse, mas este danado me dá vontade de chorar...Na última hora, lambendo a mão do veterinário...Ele queria, mais uma vez, agradar.

3 comentários:

Anônimo disse...

(Padrão usado em todos os textos comentados para dar a todos um tratamento igual). Fazendo pois uso dos critérios apontados no regulamento, deixo aqui minha impressão: ortografia, gramática e pontuação: se há erros desta natureza, não percebi durante a leitura. Não é pelo tamanho, mas a história não saiu da superfície e por isso convence pouco, acho que nem dá tempo do leitor se emocionar, mas toda tentativa é válida, não nos esqueçamos. Talvez se fosse contada do ponto de vista de alguém que conviveu com o animal, quem sabe o poder de convencimento resultasse maior. Eu não me senti envolvido, mas outros leitores poderão gostar deste texto. Não sei até que ponto ele se enquadra na proposta do concurso (observando o requisito de demonstração de afeto pelo animal), porém não cabe a mim julgar esta questão, apenas deixar aqui uma opinião sobre os textos. Avaliação pessoal: regular. Parabéns à autora ou ao autor e boa sorte! (Torquato Moreno)

Jussara Burgos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alberto Rocha disse...

Texto bom na forma e no conteúdo, a meu ver, perfeitamente enquadrado nos parâmetros do concurso, vez que afetividade não necessita de presença física. Parabéns a quem o produziu.